VITÓRIA PERDE DE VIRADA PARA PALMEIRAS, MAS FICA NA SÉRIE A


O resultado foi decepcionante, mas, a esta altura, já não interessava mais: jogando no Barradão, o Vitória garantiu na tarde deste domingo, 11, a sua permanência na Série A no ano que vem. Diante da sua torcida, o Leão perdeu para o campeão Palmeiras, de virada, por 2 a 1, mas foi beneficiado pelo empate do Internacional com o Fluminense por 1 a 1.

Após os resultados da 38ª rodada, o Rubro-Negro terminou o Brasileiro em 16º, com 45 pontos, dois acima do Colorado, 17º, com 43. Ainda que tivesse vencido neste domingo, o time gaúcho teria que tirar quatro gols de diferença no saldo de gols.

Em campo, durante todo o jogo, o Leão fez pouquíssimo diante de um time reserva do Verdão e já sem pretensões no campeonato. Abriu o placar com Marinho, aos 12 minutos do 1º tempo, em mais um gol de Marinho, em cobrança de falta. O Porco virou ainda na etapa inicial, com Gabriel, aos 15, e Alecsandro, aos 45.

Agora, as atenções do Rubro-Negro se voltam para a eleição ao novo Conselho Deliberativo e, por consequência, do novo presidente do clube. A assembleia de sócios acontecerá no próprio Barradão, na quinta-feira, 15.


O jogo


O Vitória fez um 1º tempo de quem não queria ficar na Série A. Menos criativo e esforçado até do que o normal, o Leão sofreu o primeiro lance de perigo aos sete minutos. Leandro Pereira ganhou na velocidade de Diego Renan pela esquerda e chutou na trave de Fernando Miguel.

O único lance de perigo do Rubro-Negro na etapa acabou em gol. Mas nem adianta tentar limpar a barra do time: foi uma jogada totalmente sem querer. Aos 12 minutos, Marinho cobrou falta da direita cruzando na área, rasteira; a bola acabou passando por todo mundo e balançou a rede de Jailson.

O Palmeiras nem sentiu o golpe. Três minutos depois, Erik recebeu na intermediária direita, a zaga tentou afastar, a bola bateu num atleta do próprio Leão e sobrou para Gabriel na direita, que encheu o pé para empatar para o Porco.

Após sofrer o empate, resultado que o favorecia, o Vitória adormeceu no jogo. Tomado por uma preguiça enorme, deixou o Palmeiras, mesmo com o time reserva, mas ainda superior tecnicamente, dominar o jogo. O Verdão nem pressionou tanto, parecia não querer fazer o segundo, mas aos 45 minutos teve uma chance que seria uma vergonha desperdiçar.

É injusto colocar a culpa de uma má atuação em um só jogador, mas a torcida tem razões de sobra para ficar injuriada com Diego Renan. No lance da virada do Palmeiras, Fabrício dominou na esquerda e passou por dois marcadores, com direito a uma linda caneta no lateral rubro-negro. Ele chutou, a bola espirrou na zaga e ficou com Alecsandro, sozinho, que não tinha como errar.

O sono continuou na etapa final. O técnico Argel Fucks tentava de tudo na beira do campo: gritava, pulava, gesticulava, mas nada parecia animar o seu time. A torcida, num misto de nervosismo com decepção, também ficava calada. Tudo indicava que seriam mais 45 minutos de sofrimento.

Aos seis, mais uma chance perdida pelo Palmeiras. Após cobrança de falta ensaiada, a bola ficou com Leandro Pereira na área, que chutou por cima do gol.

Só por volta dos 20 minutos que a torcida do Vitória voltou a cantar de alegria, mas por conta de um lance não no Barradão, mas no Rio de Janeiro: o primeiro gol do Fluminense sobre o Internacional, resultado que tornaria ainda mais difícil a salvação do Colorado do rebaixamento.
Quase ao mesmo tempo, Marinho cobrou falta quase da lateral direita novamente, quase um cruzamento, e mandou no travessão de Jailson. Argel continuou brigando na beira do campo com seu time, mas o jogo prosseguiu sem emoções.

Fonte:atarde
Share on Google Plus

About Ana Lúcia Leal da Silva

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.