PROFESSORA DESPERTA INTERESSE DOS ALUNOS POR AUTORES BRASILEIROS

Com a intenção de tornar mais atrativo o conhecimento da Língua Portuguesa, a professora da disciplina, Janildes Almeida, do Colégio Estadual Deputado José da Rocha, no município de Matina, no centro sul do estado, criou o projeto Movimento Literário Estudantil (Movilitera), que alia literatura e culinária. Com a iniciativa, ela tem despertado nos estudantes o interesse pela leitura e especialmente pela vida e obra de autores brasileiros. O resultado do trabalho deu tão certo que virou livro, a ser lançado no mês de novembro. A docente recebe o reconhecimento da comunidade escolar e é uma das homenageadas neste mês em que se celebra o Dia do Professor (15 de outubro).

O projeto Movilitera foi desenvolvido durante a 3ª unidade com os estudantes do 3º ano do Ensino Médio. Foram selecionados livros de grandes autores da literatura brasileira como Ariano Suassuna, Jorge Amado, Graciliano Ramos e Raquel de Queiroz. Em equipe, os estudantes realizaram pesquisas, se mobilizaram e elaboraram várias tarefas como entrevistas com outros professores, recriação das capas dos livros e páginas nas redes sociais. Outro desdobramento do projeto foi a culinária literária, momento em que os estudantes elaboraram pratos inspirados nas obras pesquisadas. 



Deste trabalho saiu a ‘Coxinha de Papagaio’, que remete ao livro Vidas Secas, de Graciliano Ramos. Eles também fizeram o ‘Bolo Gabriela’, inspirado na personagem do livro ‘Gabriela Cravo e Canela’, de Jorge Amado. Também teve o ‘Cachorro-quente da Belinha’, em homenagem ao livro ‘O Alto da Compadecida’, de Ariano Suassuna.

O estudante Luis Augusto Lopes, 16 anos, diz que a participação dele no projeto mudou sua relação com a leitura. “Foi bem interessante e proveitoso para a turma. Aproveitei para aprofundar meus estudos para o Enem [Exame Nacional do Ensino Médio] e tirei muitas dúvidas com a professora. Ela, como sempre, é muito dedicada e participativa, tira nossas dúvidas e incentiva a nossa criatividade na elaboração das tarefas”. 

Para professora Janildes Almeida, a educação existe movimento e criatividade. “Para, nós, professores, ficar no quadro é chato. Imagina para esses jovens cheios de energia. A partir dessa atividade, percebi que a questão é o movimento. Os estudantes ficam mais estimulados e assimilam melhor os conteúdos trabalhados, realizando atividades prazerosas e prática. Eles tiveram um ótimo desempenho, e isso me incentiva a seguir na profissão que escolhi e elaborar novos projetos”. 

Fonte: Ascom
Share on Google Plus

About Ana Lúcia Leal da Silva

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.